Carregando conteúdos...
...Por favor aguarde!
English
Notí­ciasAgendaOutros SitesPesquisaContactosLivro de Visitas
 
toplogo
   
Voltar Manutenção

Doenças

 

Desde que lhes sejam proporcionadas as condições mínimas, os killis são animais razoavelmente resistentes às doenças. Parâmetros extremos de qualidade da água ou água suja, temperatura muito baixa ou muito alta, alimentação não apropriada, etc., podem fragilizar os animais e levar ao aparecimento de doenças.

Oodinium - O famosíssimo Veludo, é uma doença comum em killis anuais e normalmente fruto de água pouco limpa. Os animais ficam com as barbatanas fechadas e o corpo parece coberto de poeira. Um pouco de sal (uma colher de chá por cada 10 litros de água) é um bom preventivo, e em concentrações superiores um bom curativo. Há porém diversos produtos no mercado para tratar esta doença, como o Mycopur da Sera (usado a metade da dose recomendada) ou o Protozin da Waterlife. Os mesmos tratamentos são provavelmente válidos para outras micoses.

Irritação das guelras - Outra consequência da sujidade da água, manifesta-se por uma tentativa do peixe se "coçar", roçando-se no fundo, plantas, decorações, etc. Não sendo exactamente uma doença, é um sintoma de que algo não está dentro dos parâmetros mínimos. Mude rapidamente 50% da água do aquário e considere intensificar as suas rotinas de renovação de água. Outras doenças há, do tipo parasitário, que provocam iguais reacções nos peixes. Se está seguro que a água do aquário não é a causa, procure outros sintomas.

Glugea - A peste negra dos anuais. A Glugea é um parasita intestinal altamente contagioso e mortal. Manifesta-se através de um emagrecimento acentuado dos peixes e fezes de cor branca, filamentosas. Até há bem pouco tempo não havia cura para esta doença, mas foi proposto um tratamento à base de Flubendazole a 5%, 50 mg por litro. Csso não resulte, recomendo a prática medieval de matar todos os afectados e desinfectar a fundo todo o material neles utilizado. Pode parecer cruel, mas é a única maneira de tentar salvar os sobreviventes.Esta doença não parece afectar os peixes não-anuais

Parasitas intestinais - A comer porcarias que nós apanhamos em charcos onde nem os cães bebem, não admira que, volta e meia, surjam uns desarranjos intestinais aos nossos peixes. Os sintomas clássicos são o emagrecimento, falta de apetite, fezes de aspecto suspeito, inactividade, etc. Salvaguardando a especifidade do parasita em causa, bons resultados podem ser obtidos atavés do uso de Flagyl, na dose de um comprimido por 100 litros de água.

Mês AnteriorDezembro, 2017Mês Seguinte
D S T Q Q S S
1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31